Life Scouts – O Retorno

No ano passado eu falei sobre o Life Scouts e listei todas as coisas que eu já tinha feito e que, portanto, me garantiam um badge.

Achei que seria justo voltar ao tema e ver se nesse último ano eu conquistei mais coisas ou que outros badges o Life Scouts desenvolveu que eu acabei merecendo!

Então vamos lá:

Lifescouts: Barbecue Badge If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories. Click here to buy this badge physically (ships worldwide). Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Churrasco

Todo bom brasileiro já fez um churrasco.

Devo dizer que meus churrascos favoritos são os dos meus amigos do colégio. Até porque Oliver e Felipe são excelentes mestres-churrasqueiros.

Lifescouts: Photography Badge If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories. Click here to buy this badge physically (ships worldwide). Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Fotografia

Alguma dúvida de que eu já conquistei esse badge? Eu tive até aula no topo do Martinelli.

Lifescouts: Origami Badge If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories. Click here to buy this badge physically (ships worldwide). Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Origami

Estou dizendo que tenho direito a isso porque fiz muitos barquinhos de papel nessa vida.

Lifescouts: Ballet Badge If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories. Click here to buy this badge physically (ships worldwide). Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Ballet

Fiz aula de ballet quando era criança e acho que isso conta, não?

Deve contar! Até porque eu ODIAVA. Então se eu lembro de não gostar de uma coisa, significa que a experiência foi vivida o bastante para provocar traumas.

Lifescouts: Balloon Animal Badge If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories. Click here to buy this badge physically (ships worldwide). Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Animal de balão

Já fiz isso! E sei fazer um cachorrinho de balão! Olha que coisa útil!

Isso porque a Liz, minha prima, uma vez ganhou um livro que ensinava a fazer tudo isso e vinha até com a bomba e com os balões. Muitos poodles foram feitos…

Lifescouts: Rollercoaster Badge If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories. Click here to buy this badge physically (ships worldwide). Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Montanha Russa

Já fui a algumas… Nunca fui em uma que tivesse looping, porque eu acho que eu passaria mal.

Aliás, acho não. Tenho certeza! Eu passo muito mal em montanha russa qualquer…

Eu lembro na Disney de só aceitar ir em brinquedos em que eu normalmente não iria porque:

a) era a Disney

b) Se acontecesse alguma coisa a gente ia ganhar uma bela indenização

Agora pergunta se eu arrisco a minha vida no Hopi Hari? Se arriscaria no Playcenter? hahahha

Lifescouts: Gymnastics Badge If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories. Click here to buy this badge physically (ships worldwide). Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Ginástica Olímpica

Pode parecer mentira, mas eu fazia ginástica olímpica.

Aliás, fiz uns bons anos (2?) disso aí…

No colégio você, como menina, podia treinar handball ou ginástica olímpica. E sei lá porque eu fui fazer ginástica olímpica.

Sei que nunca tive muita aptidão. E que, mesmo depois de deixar de fazer no colégio, fui fazer na ACM.  Eu devia estar bêbada quando decidi que esse seria um bom esporte para tentar. Eu tinha pavor de dar cambalhota porque tinha a certeza de que poderia quebrar o pescoço.

Cama elástica? AHAHAHA

Só ficava lá pulando e sendo feliz. Jamais faria qualquer coisa que colocasse meus ossos em risco.

E assim vocês entendem como demorou 25 anos para eu quebrar alguma coisa.

Lifescouts: Baking Cookies Badge If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories. Click here to buy this badge physically (ships worldwide). Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Fazer cookies

Apesar de ser raridade, de vez em quando sai alguma coisa na minha cozinha.

A prova?

cooki

Estão vendo esses cookies com glacê colorido?

EU QUE FIZ.

Lifescouts: Skipping Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Pular corda

Quem nunca, né?

Lifescouts: Tree-Climbing Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Escalar árvores

Como boa aspirante a filha Von Trapp, subia em árvores.

Lifescouts: Yo-Yo Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Io-iô

Queria ter um hoje :(

Lifescouts: Bike-Riding Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Bicicleta

Adooooooooro

(Mas não sou cicloativista)

Lifescouts: Trampolining Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Cama Elástica

Ver o item da ginástica olímpica para saber que, apesar de eu amar cama elástica e achar super divertido, eu não faço acrobacias.

Um sonho? Visitar o Sky Zone nos EUA:

Lifescouts: Camping Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Acampar

Já vivi esse sofrimento. 15 DIAS! 15 DIAS NA ÁFRICA.

Lifescouts: Kite-Flying Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Empinar pipa

Eu tive uma leve obsessão por pipas quando era criança. Queria porque queria fazer um monte e empinar.

Mas vou conta uma coisa para vocês: pipas não decolam se você está em um lugar sem vento e sem ser descampado. E aí seu sonho de infância acaba meio frustrado.

Lifescouts: Roller-Skating Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Andar de patins

Amava andar de patins! Amava.

Aí uns anos atrás fui com o Charles no Parque brincar de Xanadu e alugamos patins…

Grande erro tentar andar da patins quase 10 anos depois de você ter colocado rodinhas no pé pela última vez. E erro maior ainda colocar esses patins em uma ladeira.

Lifescouts: Birthday Party Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Festa de aniversário

Já tive até festa surpresa, porque eu sou amada <3

Lifescouts: Karaoke Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Karaokê

Se você ainda não me viu cantar Asererê, providencie isso me chamando para um karaokê. Sempre topo.

Lifescouts: Songwriting Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Escrever uma música

Como eu sempre fui pretensiosa, quando eu era criança e estudava piano, eu escrevi duas músicas (com 10 notas no máximo tocadas em sequência). Uma delas foi sobre quando a minha cachorrinha Nara fugiu.

Muita emoção e sensibilidade para uma menina de 10 anos…

Lifescouts: Keyboard Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Tocar teclado

Lifescouts: Piano Badge<br /> If you have this badge, reblog it and share your story! Look through the notes to read other people’s stories.<br /> Click here to buy this badge physically (ships worldwide).<br /> Lifescouts is a badge-collecting community of people who share their real-world experiences.

Tocar piano

Coloco a explicação desses dois junas porque, apesar de eu fazer aula de piano, eu praticava num teclado.

Gente, oi, não sou rica, não tinha um lindo piano de cauda em casa, né? Beijos.

E eu achava que eu era super dedicada no piano. Uma vez a minha professora fez uma competição para ver quem praticava mais. E eu super achava que eu ia ganhar porque eu praticava o tempo todo.

Até que eu cresci e vi no meu caderno que, na verdade, eu praticava uns 5 minutos por dia e achava que era o próprio David Helfgott…

Acho que vocês podem perceber pela minha falta de fama, dinheiro e talento que eu, afinal, não era.

E é isso.

Essas são as coisas a mais que eu já fiz na vida.

Se você quer ver a lista do ano passado, tá aqui. E se você quer ver quais são os distintivos de realizações na vida que você tem, passe lá no Life Scouts.

Notícia bombástica

Odeio ser portadora de más notícias, amigos. Mas, sim. Vai ter Copa.

Eu sei, eu sei… Difícil encarar essa realidade agora, quando a gente ainda tem um tempão pra lutar, pra protestar e os nossos ativistas e manifestantes estão fazendo tanto progresso, né?

Mas vai ter Copa, amigos. Vai.

Tanto vai ter copa que a gente já tem música oficial!!!!

Todo mundo cantando junto!!!! Principalmente a parte da Cláudia Leittttttte (7 Ts, pra dar sorte), hein??

O CD da Copa, aliás, tem a maravilhosa poesia que é Lepo Lepo. Afinal, ninguém tem casa, ninguém tem carro, aquela coisa do salário atrasado…

Mas sabe o que a gente tem????

 

Se você respondeu “Lepo Lepo” ou “Copa” errou. A gente VAI ter Copa. Agora a gente tem ÁLBUM DA COPA.

 

 

Sim, porque protestar contra o evento quando realmente servia para alguma coisa, há uns bons 10 anos, ninguém fez. Mas tira uma figurinha da Wizard pra você ver o que é revolta… Aí sim o gigante acorda.

A verdade é que a Panini acordou muito bem esse gigante.

Vejo gente que nem gosta de futebol colecionando o tal álbum. Não assiste um jogo, nem sabe quem pode estar na seleção, mas tá atrás da figurinha do goleiro dos Estados Unidos já faz uma semana…

Tenho certeza, aliás, que figurinhas do time alemão ou holandês vão povoar as carteiras das minhas amigas até agosto… É um ótimo jeito de brincar de moleca e ainda ter o prazer de ver um cara gato cada vez que for mostrar o cartão de débito.

É, minha gente… Essa é a realidade em que vivemos.

Agora, vamos falar sério? Se é pra protestar MESMO contra a Copa do Mundo (e contra essa não dá mais tempo), sugiro que todo mundo comece protestando contra Campeonato Paulista, Brasileiro, Libertadores e todos esses torneios que inventam e que justificam jogos pelo menos duas vezes por semana e salários absurdos a jogadores. Fica a dica.

 

Masoquismo

Sabe aquele seu amigo do Facebook que só fala merda? Aquela pessoa que tem mania de fazer análises profundas sobre o nada e que, quando a eleição se aproxima, adora fazer campanha política e se chamar de “apolítico” ou “apartidário”?

Se você é uma pessoa normal, você já ocultou essa pessoa da sua timeline e esqueceu que ela existe.

Mas eu não sou normal.

Eu deixo essa pessoa lá.

Houve uma época em que eu ocultei todo mundo que compartilhava coisas do tipo:

E o que sobrou foram os amigos e os pseudo-cultos. Deixei os pseudo-cultos e agora a cada compartilhamento de um texto do Sakamoto eu tenho uma reação que é um misto de ódio e de alegria.

Eu tenho um parafuso a menos e é esse parafuso a menos que me faz sobreviver às minhas aulas de pós todas as quartas-feiras.

Cometi a burrada de fazer sociologia contemporânea. Sociologia contemporânea no curso de Globalização e Cultura, que eu já havia rejeitado porque tinha achado muito cheio de teorias ultrapassadas e que eu não aguentava mais ver desde a faculdade…

Mas, o que a gente não faz pra terminar logo esse curso, né?

E aí que a professora chega todo dia uma meia hora atrasada, dá meia hora de intervalo e só libera a gente depois das 22h30, quando eu pretendia, pelo menos, já ter jantado.

Hoje eu quase comecei a chorar e a gritar “CÁRCERE PRIVADO!!! CÁRCERE PRIVADO”, porque a infeliz só faz a chamada no último minuto.

E tem os coleguinhas adoráveis.

Hoje ouvi as seguintes pérolas do amigo cicloativista:

“Capacete dá azar. Tem é que correr riscos” – espero que estoure a cabeça na sarjeta.

“Vim rapidinho. Pela calçada” – depois exige que os carros respeitem as bicicletas… Respeitar pedestre jamais.

“Ter um único vício na vida é um problema. Bom é ter vários, porque aí você dissolve…” – Então vai aí a minha dica: cocaína + álcool + remédio controlado + heroína + roleta russa, pra você que é viciado em adrenalina. Tudo de uma vez, porque aí dissolve.

E eu fico lá lendo. Hoje li umas duas edições da Empire. X-Men vai ser uma bomba, hein? Mas queria que o Wolverine aparecesse na sala.

Mas eu sobrevivo… E sobrevivo porque sou masoquista e porque, quando chego em casa, despejo o sofrimento nesse blog.

Quem mexeu no meu post?

Vou dizer pra vocês que não tá fácil essa vida de blogueira.

Não é nem que eu não tenho ideias (ainda tenho o bastante para durar uma semaninha, pelo menos, e tenho fé de que mais ideias surgirão), mas a preguiça acaba comigo. Minha cama chora, sentindo a minha falta, minha pasta de downloads chama a minha atenção, e minhas inscrições no YouTube já repararam na minha ausência entre os views.

Mas vamos que vamos, gente, porque o mundo é dos fortes, a felicidade é meu combustível e o sucesso meu motor.

Não suporto meios termos. Por isso, não me doo pela metade. Não sou sua meio amiga nem seu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada
- Clarice Lispector

Tudo a ver, né gente? Ficou aí a imagem da Audrey para ilustrar o que é ser diva. Para mostrar pra vocês que se pode sim ser maravilhosa, inteligente e ganhar o Oscar. Vamo que vamo.

Não sei bem quando essa auto-ajuda barata começou. Mas sei que ela veio pra ficar com  o instagram.

É a própria cara e a legenda “bom dia, mundo! Vamos fazer o dia ser maravilhoso! rsrsrsrsrsrs”.

Sabe aquela forçada de barra que a pessoa dá? Aquele bom humor que você sabe que ninguém tem numa segunda-feira às 8 da manhã? Isso só pode ser coisa para mostrar pro chefe que tá bem disposto, para dar uma humilhada nas pessoas que, como eu, estão se arrastando de sono, pra se fingir de pessoa matutina…

Fica a dica: ninguém gosta de mensagem motivacional. Só gerente de RH.

Como se não bastassem as pessoas que postam fotos da própria cara com frases de efeito na legenda, agora a gente tem perfis dedicados ao bom dia motivacional pronto. Perfis fabricados para captar aquele ou aquela trouxa que acha que é guru das redes sociais.

Mas pode piorar:

diva da depressão

Alguém pode usar imagens nada a ver para fazer piadas sem graça:

ironicadisney

O que o Timão tem a ver com o transporte público eu não sei. Não sabia que suricatos andavam de ônibus. E nem que esse ônibus trafegava por São Paulo.

Se é pra postar coisa motivacional, que seja algo útil do tipo: Vamos todos morrer um dia, então basta sobreviver até lá.

E se é pra postar uma piadinha vagabunda com uma foto nada a ver….

image

image

Só não faça isso…

Do topo do Martinelli

DSC_0001

Uma das “vantagens” de fazer o Blog Every Day April é que eu não me sinto culpada em resgatar ideias de posts que eu tive há tempos, mas que a preguiça me impediu de escrever.

Não sou uma maquininha de ideias e fazer 30 posts de uma vez é cansativo. Porém, às vezes eu me lembro daquela ideia que eu tive em fevereiro e que não escrevi porque tinha sono e pronto. Posso reutilizá-la.

E esse post, gente. Mó sacrilégio eu não ter feito antes.

Hoje conto para vocês sobre como eu atraio pessoas bizarras, exemplificando o que vi no topo do Edifício Martinelli, no Centro de São Paulo.

Se você está querendo saber como, quando e onde você pode ver a vista do centrão da cidade do primeiro edifício de São Paulo, recomendo dar uma olhadinha no blog da Talita, o Me Deixa Ser Turista. O post que ela fez sobre o nosso passeio foi divertido e informativo. E já que você vai dar uma passadinha por lá, aproveita e favorita. A garota é inteligente, bem informada e não é preguiçosa como eu, então os posts são bem mais regulares e bem mais ousados.

Fui com ela, a Lucila, a Fê, a Dani e o Matheus encarar essa aventura por um dos pontos mais marcantes da cidade.

A gente marcou a visita alguns dias antes (olha, dizem que é pra marcar, mas parece que se você aparecer lá no horário no probs) e combinamos que, após admirarmos a linda Sampa, almoçaríamos no Municipal.

Tudo muito bom, tudo muito digno. E foi tipo em fevereiro, quando estava fazendo aquele calor desumano?

O bom é que o tempo quente e a falta de chuva (beijos, Cantareira) deixou o dia perfeito para fotos. E eu, toda metida, não levei apenas uma, mas duas câmeras para o Martinelli: a minha Nikon D3100 e a linda Polaroid hipster que a Lia me deu de Natal.

DSC_0013

 

Pra tirar fotos assim, gente. E fingir que eu tenho talento.

Mas não tenho.

E enquanto a gente esperava o porteiro do Martinelli abrir o portão de ferro e nos receber no que foi, durante muito tempo, uma favela, eu segurava a câmera com um olhar inocente que com certeza denunciou a minha inexperiência.

Do nosso lado um cara também se preparava para transformar aquela visita rápida em uma bela sessão de fotos. A câmera dele era bem mais majestosa do que a minha, assim como era o comportamento do cara.

Ele perguntou sobre a minha câmera. Eu respondi. E ali começou a aula.

Nada de usar as fotos no automático. ISO 400. velocidade do shutter a tanto.

Olha, meus cursos de fotografia (beijos, How to do YouTube) me ensinaram apenas a mexer em exposição e velocidade do shutter. E eu estou muito contente com isso. Porque, pra mim, enquanto eu não dominar essas coisas básicas não tem motivo para passar para algo mais complexo.

Mas o cara não. Queria me ensinar ali no elevador o que ele levou uns bons anos de experiência para aprender.

DSC_0022

Mas tem uma reviravolta aí, meus amigos. Porque o cara não estava sozinho. Ele estava com uma criança de uns 10 anos. Uma menininha, filha dele.

O cara provavelmente era um pai divorciado e aquele era o final de semana que ele tinha com a menina. E, curiosamente, ele estava gastando as preciosas horas que tinha com a garota tentando me ensinar a mudar o ISO da câmera.

A menina não estava feliz.

E, pra falar a verdade, nem eu. Por mais que o mundo esteja cheio de boas intenções, não tente despejá-las todas em mim do térreo à cobertura.

Os ajustes preliminares que ele fez na minha câmera não funcionaram. E aí todas as fotos que eu tentei tirar ficaram estouradas:

- Aqui não é nem a hora nem o lugar para aprender – ele me diz – coloca no automático e seja feliz.

ERA O QUE EU QUERIA TER FEITO DESDE O COMEÇO.

Ignorei o fato de que o cara desperdiçou uns 15 minutos do meu sábado com uma lição vagabunda de fotografia e fiz todas as fotos que o meu curso express me permitiu.

E aí me vem um cara, DO NADA, aponta para um prédio e diz:

- Tira foto daquela cobertura ali ó. Super bonita.

Vou abrir um parênteses e dizer que não foi assim, ele estava logo ali do meu lado e apontou um prédio que estava ao alcance dos meus olhos. Não.

Ele foi me buscar e me levou até o local de onde eu poderia ver melhor o lindo topo do prédio:

DSC_0025

Minutos antes estávamos todos rindo de uma piscina na laje. Então eu só perguntei pro cara se ele estava falando sério ou se estava sendo sarcástico antes de tirar a foto desse semi-cortiço.

Quando eu tirei a Polaroid da bolsa, o fotógrafo divorciado quase foi à loucura.

Pediu uma foto dele com a filha e eu dei. Até porque ele me eixou usar a lente dele (nem fez tanta diferença assim) e tirou foto minha com meus amigos. Então tá valendo.

Ahhh e meio que foi pagamento pela aula de fotografia, né?

Enfim, já que vocês não atraem pessoas doidas como eu atraio, acho que esse é um passeio bacana para você, paulistano, de bobeira num dia de sol.

Fica a dica.

 

DSC_0046

 

 

Uma vez idiota, sempre idiota

Uma pessoa antipática como eu não tinha como acreditar na bondade das pessoas e no potencial que o ser humano tem em mudar…

Realmente não acredito. Eu sou tipo o House: Todo mundo mente, e ninguém muda.

My favorite quotes… :33

E isso vale para mim também. Aos 13 anos eu era igualmente antipática e obcecada com as coisas quanto sou hoje.

Não entendo, portanto, quando alguém com quem estudei no colégio, que sempre me tratou mal ou riu da minha cara, vem querer ser minha amiga no Facebook ou me encontra no shopping e vem falar oi como se anos de escrotidão tivessem magicamente desaparecido da minha memória.

Não. Não desapareceram. Eu lembro de como você achava que era melhor do que os outros, lembro de como tratava as pessoas feito lixo e de como você era burra!

Você não evoluiu. Porque não tem como você ter conquistado caráter nesses últimos 10 anos. Não tem como você ter passado de um adolescente babaca para um homem de respeito. O que mudou, no máximo, foi seu gosto musical.